Caixa atingiu ganho líquido recorde em 2020,diz Pedro Guimarães

Caixa atingiu ganho líquido recorde em 2020,diz Pedro Guimarães

Spread the love

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, disse nesta terça-feira (12/1) que o banco teve o maior ganho líquido da sua história em 2020. Embora de não difundir números, ele destacou que a escola financeira alcançou resultados expressivos no ano passado, embora da pandemia do novo coronavírus, e que, dessa forma, precisa palpitar o recorde de 2019, no momento em que a Caixa registrou R$ 21,1 bilhões de ganho líquido, 103,3% a melhor do que em 2018.

“A Caixa possui mais de meio trilhão de reais em influência imobiliário. Na momento mais complexa (da pandemia), batemos o recorde de influência imobiliário, foram R$ 116 bilhões. E flexibilizamos, dando seis meses de esterilidade, permitindo que as companhias pudessem realizar averiguação pela internet, e reduzindo taxas. A resultado? A Caixa de modo algum ganhou tanto dinheiro com ( influência ) imobiliário e conseguimos realizar uma cirurgia que foi emblemática. Aproximadamente R$ 800 bilhões de influência. E vamos ter a menor tarifa de inadimplência dos seus 160 anos. De modo algum emprestamos tanto, de modo algum tivemos tão pouca inadimplência, e o nosso ganho, novamente, vai ser recorde”, afirmou Guimarães.

As declarações aconteceram ao longo uma celebração no Palácio do Esplanada em comentário aos 160 anos da Caixa. De acordo com Guimarães, os pagamentos de vantagens sociais feitos pela Caixa em 2020 similarmente contribuíram para o bom performance do banco no ano passado, como os 535,6 milhões de pagamentos do óbolo emergencial para 67,9 milhões de brasileiros, e o influência de R$ 36,5 bilhões do Serviço Emergencial FGTS para 51,1 milhões de trabalhadores.

“Estamos falando de um banco com mais de 140 milhões de contas. Um banco que, no meio da pandemia, construiu 105 milhões de contas digitais. É o maior banco do hemisfério sul, do hemisfério ocidental. Isto foi construído no meio da pandemia. Qualquer país, até no qual saibamos, pagou tanto, tão acelerado e com introdução tão profunda quanto o Brasil. Seis dias depois de o prescrição ter sido promulgado, já estávamos pagando 3 milhões de indivíduos. Em 20 dias, 50 milhões de brasileiros receberam ( óbolo emergencial)”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *